Ajude a manter o
Projeto Criança Casulo


O CASULO

COMO SURGIU

O Casulo surgiu da iniciativa de um grupo de educadores ligados ao Grupo da Caridade André Luiz, entidade espírita, que sentiu a necessidade de atender crianças e adolescentes com problemas de aprendizagem e comportamento nas escolas públicas.
Na etapa de formação da equipe, reuniram-se profissionais de diferentes áreas (psicologia, fonoaudiologia, pedagogia, terapia ocupacional, assistência social, neuropediatria e pediatria), todos voluntários, que se encontravam uma vez por semana, a fim de discutirem o tema e se capacitarem teoricamente para o atendimento. Em seguida, a equipe dedicou-se à estruturação dos atendimentos que se caracterizou pela aquisição, elaboração e confecção de materiais para avaliação e intervenção. Em agosto de 2007, iniciaram-se os primeiros atendimentos com as crianças encaminhadas por psicólogos e neuropediatra que as recebiam em consultório particular.
À medida que o trabalho passou a ser conhecido na sociedade local, as escolas públicas e particulares passaram a encaminhar alunos.

OBJETIVOS

O Casulo atende crianças com queixa escolar, relacionadas às dificuldades de aprendizagem e/ou problemas de comportamento cujo impacto impede à adaptação da criança no ambiente escolar, quer nas relações interpessoais, quer no próprio processo de aprendizagem, priorizando as que são carentes de recursos financeiros.

...

O QUE OFERECEMOS

  • Avaliação multidisciplinar (psicóloga, fonoaudióloga, pediatra, neurologista infantil, pedagoga, assistente social, terapeuta ocupacional e fisioterapeuta);
  • Intervenções educacionais e nas especialidades;
  • Orientação à família;
  • Orientação à escola e professores;
  • Capacitação de profissionais;
  • Desenvolvimento pesquisas sobre as dificuldades de aprendizagem e problemas de comportamento quanto ao diagnóstico e resultado das intervenções.

COMO SE MANTÉM

O Centro se mantém financeiramente com eventos realizados pelo Grupo da Caridade André Luiz, por cursos de capacitação de professores e de profissionais e por colaboradores. Com a ampliação do atendimento, necessitamos estabelecer parcerias para a continuidade dos serviços prestados.

JUSTIFICATIVA

O sistema educacional brasileiro, não obstante todas as suas iniciativas e esforços, depara-se com crianças que, por motivos variados, não conseguem adquirir os conhecimentos relacionados à leitura e escrita e ao cálculo, constituindo um problema atual e de difícil solução. As crianças nessas condições necessitam de acompanhamento específico e especializado.
A dificuldade de aprendizagem e problemas de comportamento traz repercussão importante em vários aspectos. Do ponto de vista da criança, podemos dizer que interfere na construção da si e de uma autoestima positiva, levando a problemas de ordem psicológica e social. Do ponto de vista social, a dificuldade de aprendizagem pode ser considerada uma calamidade pública por atingir um ser em desenvolvimento que ainda não tem condições neurológicas e emocionais para enfrentar as situações que o problema lhe impõe.
No Brasil, as escolas não contam com uma equipe de profissionais especializados que possam atender esses problemas, minimizando as consequências negativas. Com o intuito de suprir essa lacuna, iniciamos este trabalho, buscando formas de atuação nos problemas de aprendizagem e de comportamento, restituindo à criança e ao adolescente, condições adequadas de desenvolvimento, garantindo-lhe uma construção adequada de si, bem como uma maior inserção social.

..

CARACTERÍSTICA DA POPULAÇÃO A SER ATENDIDA

Segmento – crianças e adolescentes com queixa escolar (aprendizagem e comportamento)
Faixa etária: dos 5 aos 14 anos
Regime de atendimento: externato
Horário de atendimento: das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h
Sexo = masculino e feminino
Capacidade: A capacidade máxima: 384 crianças.
Lotação média mensal: 200 crianças

ÁREA DE ABRANGÊNCIA

O Centro de Atenção à Aprendizagem e ao Comportamento Infantil Casulo, mantido pelo Grupo da Caridade “André Luiz”, atende crianças residentes em todos os bairros de São João da Boa Vista, e cidades vizinhas: Aguaí, Vargem Grande do Sul e São Roque da Fartura, distrito de Águas da Prata.

PROFISSIONAIS

O Casulo é coordenado pela Profª Drª Betânia Alves Veiga Dell’ Agli (voluntária) que conta com uma equipe técnica formada por aproximadamente 10 voluntários (assistente social, pediatra, neuropediatra, fonoaudióloga, pedagoga, psicóloga).

O Casulo funciona com uma funcionária de serviços gerais e 7 estagiárias (6 de Psicologia e 1 de Administração).

 CUSTO

O atendimento é gratuito. Como contrapartida, os pais ou responsáveis assumem o compromisso de frequentar as reuniões de orientação que ocorrem mensalmente.